Gestão na Prática RELATÓRIOS Táticos e Estratégicos

O que é NFC-e: O Projeto NFC-e é um módulo do Projeto do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), do qual fazem parte também a NF-e, o CT-e, Escrita Fiscal Digital e a Escrita Contábil Digital.

A importância do planejamento dentro de uma empresa

O planejamento sempre foi base para a tomada de decisões e posicionamento das organizações em mercados. A partir de elementos internos e do ambiente externo é possível fazer uma leitura das possibilidades existentes para então direcionar as decisões estratégicas das empresas.

Planejar é saber onde queremos chegar. O Planejamento Organizacional pode ser divido em três níveis: estratégico, tático e operacional.

Trataremos aqui sobre o planejamento estratégico e sobre o planejamento tático, e sobre a construção de relatórios táticos e estratégicos.

Planejamento Estratégico (longo alcance)

O planejamento estratégico pode ser definido como um processo de gestão que se refere à formulação de objetivos para a seleção de programas de ação e para sua execução, levando em conta as condições internas e externas à empresa e sua evolução esperada.

Ele apresenta o aspecto futuro das decisões institucionais, a partir da formulação da filosofia da instituição, sua missão, seus objetivos e metas, em busca de resultados de longo prazo para a organização. De uma forma genérica, consiste em saber o que deve ser executado e de que maneira deve ser executado. Ele é crucial para o sucesso da organização, e a responsabilidade deste planejamento geralmente é da alta gerência, dado o nível de decisões que é necessário tomar, e abrange toda a estrutura organizacional de uma organização.

O planejamento estratégico é feito em geral entre 5 e 10 anos no futuro. É essencial que o planejamento estratégico, apesar de ter um alcance de até 10 anos, seja atualizado constantemente. Se isto não ocorrer, o planejamento sofre um sério risco de ficar obsoleto e não ser utilizado dentro da empresa, como deve ser.

Planejamento Tático (médio)

É desenvolvido pela média gerência e aplica-se a departamentos específicos, cujo objetivo é otimizar determinada área de resultados e não a empresa como um todo.

Trabalha com decomposições dos objetivos, estratégias e políticas estabelecidos no planejamento estratégico. É o planejamento tático que desdobra os objetivos estratégicos em metas que serão perseguidas por todas as áreas e estruturas da organização, portanto, o nível tático de planejamento é o principal responsável pelo sucesso na consecução dos objetivos estratégicos.

O planejamento tático é feito de ano a ano e busca otimizar uma determinada área da empresa na busca de um resultado.

Relatórios táticos e estratégicos

O relatório conta com todos as informações importantes sobre o plano, e serve tanto para seu controle pessoal como para a apresentação de dados para outros membros da organização.

Planejamento e relatório tático

Para elaborar um relatório estratégico, você deve apresentar:

  1. Estabelecimento de padrões: fornece os critérios para medir o desempenho e avaliar os resultados. Os padrões de controle dependem diretamente dos objetivos, especificações e resultados previstos resultantes do processo de planejamento.
  2. Avaliação de resultados: avaliação do desempenho ou dos resultados dentro dos limites previstos pelos padrões, a fim de garantir o alcance dos objetivos traçados.
  3. Comparação dos resultados com os padrões: A comparação proporciona a informação a respeito da quantidade, qualidade, do tempo e custo das atividades de cada departamento, capaz de permitir sua avaliação em relação aos padrões preestabelecidos.
  4. Ação corretiva quando ocorrem desvios ou variâncias:

Planejamento e relatório estratégico

O planejamento estratégico tem duas finalidades principais:

Planejamento e relatório tático

Para elaborar um relatório estratégico, você deve apresentar:

  • Correção de falhas ou erros existentes: o controle serve para detectar falhas ou erros – seja no planejamento ou na execução – para apontar as medidas corretivas adequadas para sana-las.
  • Prevenção de novas falhas ou erros: ao corrigir as falhas ou erros existentes, o controle aponta os meios necessários para evita-los no futuro.

Para fazer um relatório estratégico, é preciso:

  1. Estabelecer padrões de desempenho: representam o desempenho desejado. Podem ser tangíveis ou intangíveis, vagos ou específicos, mas sempre relacionados com o resultado que se deseja alcançar. Os padrões são normas que proporcionam a compreensão daquilo que se deverá fazer.
  2. Avaliação do desempenho: Para se controlar o desempenho deve-se, pelo menos, conhecer algo a respeito dele e do seu passado, Essa avaliação depende da informação imediata a respeito do desempenho e da unidade de mensuração deverá estar de acordo com o padrão predeterminado e deverá ser expressa de forma que facilite uma comparação entre o desempenho e o padrão de desempenho desejado.
  3. Comparação do desempenho com o padrão: A comparação do desempenho com o que foi planejado não busca apenas localizar os erros ou desvios, mas também permitir a predição de outros resultados futuros. Ela pode ser feita por meio de Resultados, (quando a comparação entre o padrão e a variável é feita depois de terminada a operação.) ou Desempenho (a comparação entre o padrão e a variável é feita paralelamente à operação, ou seja, quando a comparação acompanha a execução da operação).
  4. Ação corretiva: A ação corretiva é tomada a partir dos dados quantitativos gerados nas três fases anteriores do processo de controle.